| Login | Crie o seu Jornal Online FREE!

Esporte Online
Desde: 17/10/2003      Publicadas: 50      Atualização: 26/11/2003

Capa |  Automobilismo  |  Basquete  |  Campeonato Brasileiro  |  Charge do dia  |  Colunistas  |  Fut. Europeu  |  Futebol Carioca  |  Futebol Catarinense  |  Futebol Mineiro  |  Futebol Paulista  |  Futsal  |  Geral  |  Seleções Mundiais  |  Série B  |  Surf  |  Tênis  |  Volei


 Automobilismo
  15/11/2003
  0 comentário(s)


Entrosamento é arma de Bruno
“Se me derem uma McLaren ou uma Williams, venço o Schumacher.” Quem garante é o piloto mineiro Bruno Junqueira de 27 anos, vice-campeão da Fórmula Indy’2003 pelo segundo ano consecutivo, que ontem falou dos seus planos na categoria. Apesar de ter desafiado publicamente o hexacampeão mundial, ele ainda não pensa em Fórmula 1. Acabou de renovar contrato com a Newman-Haas e só quer saber de desbancar o canadense Paul Tracy, na próxima temporada. Para tanto, encurtou as férias e viajará terça-feira próxima para Chicago, onde começará os testes para 2004.

“Todo ano, sou sondado por equipes menores da F-1. Mas não largo o que tenho na Indy, como liberdade e o entrosamento com a equipe, para me arriscar em um contrato de apenas um ano na F-1, numa equipe em que não terei perspectivas de vencer. Em 2005, a Williams já deu sinais de que trocará um dos seus pilotos. Isso, sim, me interessa”, disse.

Bruno fez uma análise positiva desta temporada, apesar do vice-campeonato. “Tenho certeza de que perdi o título nas três primeiras corridas do ano, quando fiquei com o segundo, terceiro e quinto lugares, respectivamente, enquanto o Tracy chegou em primeiro em todas. Ali, ele abriu uma frente difícil de ser tirada. No início, o entrosamento da equipe não estava legal. Custei a acertar o chassi. Prefiro um carro mais firme na frente, mesmo que a traseira balance um pouco, porque gosto de entrar com mais firmeza na curva e essa adequação me dá mais estabilidade. Tanto que, no segundo semestre, depois dos ajustes que fizemos, comecei a correr muito melhor. Nas últimas corridas, era o piloto mais veloz na pista.”

As batidas nos GP’s da Austrália e em Miami, penúltima e antepenúltima provas, diminuíram as chances de Bruno de encostar em Tracy. “A primeira, em Miami, foi erro meu. Tentei forçar em cima do Adrian Fernandes e acabei rodando. Mas, na Austrália, o Patrick (Carpentier, companheiro de equipe de Tracy) veio na base da irresponsabilidade e me tirou da corrida. Esse lance me deixou bem chateado.”

Para 2004, Bruno acredita que trará o título novamente para Belo Horizonte, como fez Cristiano da Matta, ano passado. “Vou entrar na pista com o carro já acertado, coisa que não aconteceu este ano, e tentar abrir frente nas primeiras corridas, como o Tracy fez nesta temporada.”
  Autor:   Pedro Augusto


  Mais notícias da seção Noticias no caderno Automobilismo



Capa |  Automobilismo  |  Basquete  |  Campeonato Brasileiro  |  Charge do dia  |  Colunistas  |  Fut. Europeu  |  Futebol Carioca  |  Futebol Catarinense  |  Futebol Mineiro  |  Futebol Paulista  |  Futsal  |  Geral  |  Seleções Mundiais  |  Série B  |  Surf  |  Tênis  |  Volei
Busca em

  
50 Notícias